#contos Instagram Photos & Videos

contos - 138.4k posts

Latest #contos Posts

  • Poema completo aqui..
...
... Vozes no Ar

Se você pudesse ao menos ouvir
Agora esses meus pensamentos,
Não sei o que pensaria de mim
Dos meus momentos turbulentos.

Se nada aqui fica no lugar
E tudo cabe no mesmo canto,
São vozes soltas bailando no ar
Gritos incomodando meu prato.

Tento sair de mim por um instante
Ao mesmo tempo que me contenho,
Pensamento corta feito diamante
Viajam em uma linha sem tempo.

E o que sou eu agora
Senão o "meu eu" contido em mim!
Ou um monstro que olha pra fora
Tentando fugir e causar o meu fim!

São tormentas de pensamentos
Que se misturam no escuro vazio,
Pequenos grãos de sentimentos
Nm labirinto escuro, frio e sombrio.

Mas se você pudesse imaginar
O que se passa em meu coração,
Tão logo pensaria em voltar
Para me acalmar com tuas mãos.

Tuas mãos que acalentam a alma
Amansam este monstro em mim,
As tuas mãos suaves e de fada
Que cultivavam flores no meu jardim.

Sérgio Batista
@tudo_acabaempoema 
05 de maio de 2015

#boanoite #amigos #seguidores #leitores #escritores #poetas #poemas #poesias #versos #textos #contos #tudo_acabaempoema #sergiobatista #artista #escritor #cearense #maracanau #livros #literatura
  • Poema completo aqui..
    ...
    ... Vozes no Ar

    Se você pudesse ao menos ouvir
    Agora esses meus pensamentos,
    Não sei o que pensaria de mim
    Dos meus momentos turbulentos.

    Se nada aqui fica no lugar
    E tudo cabe no mesmo canto,
    São vozes soltas bailando no ar
    Gritos incomodando meu prato.

    Tento sair de mim por um instante
    Ao mesmo tempo que me contenho,
    Pensamento corta feito diamante
    Viajam em uma linha sem tempo.

    E o que sou eu agora
    Senão o "meu eu" contido em mim!
    Ou um monstro que olha pra fora
    Tentando fugir e causar o meu fim!

    São tormentas de pensamentos
    Que se misturam no escuro vazio,
    Pequenos grãos de sentimentos
    Nm labirinto escuro, frio e sombrio.

    Mas se você pudesse imaginar
    O que se passa em meu coração,
    Tão logo pensaria em voltar
    Para me acalmar com tuas mãos.

    Tuas mãos que acalentam a alma
    Amansam este monstro em mim,
    As tuas mãos suaves e de fada
    Que cultivavam flores no meu jardim.

    Sérgio Batista
    @tudo_acabaempoema 
    05 de maio de 2015

    #boanoite #amigos #seguidores #leitores #escritores #poetas #poemas #poesias #versos #textos #contos #tudo_acabaempoema #sergiobatista #artista #escritor #cearense #maracanau #livros #literatura
  •  29  0  11 hours ago
  • Um pequeno conto feito para você refletir! 
Morando no sítio desde que se entende por gente, seu Zé, costumava ir até o bar afogar o cansaço e a angústia. Com seu jeito todo desengonçado e suas roupas sujas sempre era alvo de risadas da molecada, coisa que pouco lhe incomodava. Ele tinha a noção de que era ele quem aqueles moleques alimentava.

Disponível no Sweek 🦋
#sweek #contos
  • Um pequeno conto feito para você refletir!
    Morando no sítio desde que se entende por gente, seu Zé, costumava ir até o bar afogar o cansaço e a angústia. Com seu jeito todo desengonçado e suas roupas sujas sempre era alvo de risadas da molecada, coisa que pouco lhe incomodava. Ele tinha a noção de que era ele quem aqueles moleques alimentava.

    Disponível no Sweek 🦋
    #sweek #contos
  •  0  0  12 hours ago
  • Inconsciente e involuntário, ele é mais um morto-vivo espremido num purgatório de almas enfadonhas. O último suplício antes do descanso diário. Em sua mente, o frenesi de pensamentos flagela o espírito, ainda que oferece um torpor ao desagrado físico.

Na próxima estação as portas de metal são abertas para a torrente. O alívio da liberdade não suaviza as inquietações. Aflito pela morosidade de sua trajetória, ele urge por uma tragada, por uma baforada esconjuradora que alivia, mas não cura. 
O ar externo incendeia a gana por rechear-se de nicotina. De dentro da mochila, retira a caixa de cigarros e, com duas batidas, um filtro é exposto e levado aos lábios. Um palito de fósforo é inflamado e descartado após exercer seu papel. O primeiro sorvo é vagaroso, degustado. O sopro esvai todo o fumo. Ele observa a fumaça dissipando-se. Contrariamente, a agitação persevera.

_ Quem, diabos, ainda usa fósforos? – Distrai-se por alguns momentos num devaneio. Tal costume é útil apenas por pura pose, tal qual a forma que ele manuseia o palito de fósforo, segurando-o voltado para o interior da mão ao acender o cigarro. Coisa débil. Aliás, no atual momento de sua vida, fumar é um ato ignóbil. Em sua juventude, transgredia, afrontava, reafirmava. Hoje, confirma fraqueza e covardia. A escravidão é cômoda, apesar dos desprazeres.

O fantasma prossegue pairando sobre o solo com o chão desinteressante caminhando pelos olhos. Chama-lhe a atenção um outro palito de fósforo jogado num canto. Sua boca contorce num sorriso amargo. Ele não é o único.
_
Autor : @deixeutecontar 
Ilustrador : @oliveirailustra
  • Inconsciente e involuntário, ele é mais um morto-vivo espremido num purgatório de almas enfadonhas. O último suplício antes do descanso diário. Em sua mente, o frenesi de pensamentos flagela o espírito, ainda que oferece um torpor ao desagrado físico.

    Na próxima estação as portas de metal são abertas para a torrente. O alívio da liberdade não suaviza as inquietações. Aflito pela morosidade de sua trajetória, ele urge por uma tragada, por uma baforada esconjuradora que alivia, mas não cura.
    O ar externo incendeia a gana por rechear-se de nicotina. De dentro da mochila, retira a caixa de cigarros e, com duas batidas, um filtro é exposto e levado aos lábios. Um palito de fósforo é inflamado e descartado após exercer seu papel. O primeiro sorvo é vagaroso, degustado. O sopro esvai todo o fumo. Ele observa a fumaça dissipando-se. Contrariamente, a agitação persevera.

    _ Quem, diabos, ainda usa fósforos? – Distrai-se por alguns momentos num devaneio. Tal costume é útil apenas por pura pose, tal qual a forma que ele manuseia o palito de fósforo, segurando-o voltado para o interior da mão ao acender o cigarro. Coisa débil. Aliás, no atual momento de sua vida, fumar é um ato ignóbil. Em sua juventude, transgredia, afrontava, reafirmava. Hoje, confirma fraqueza e covardia. A escravidão é cômoda, apesar dos desprazeres.

    O fantasma prossegue pairando sobre o solo com o chão desinteressante caminhando pelos olhos. Chama-lhe a atenção um outro palito de fósforo jogado num canto. Sua boca contorce num sorriso amargo. Ele não é o único.
    _
    Autor : @deixeutecontar
    Ilustrador : @oliveirailustra
  •  83  9  12 hours ago
  • Alguns dos contos desse livraço vão em direção ao mar. Deem um google que vocês conseguem ler o original em inglês do conto “O verdadeiro nome dela” (“Her real name”). Um conto forte e bonito ao mesmo tempo, em direção ao mar. Sim, a Grua gosta de mar! #grualivros #charlesdambrosio #literaturaamericana #contos
  • Alguns dos contos desse livraço vão em direção ao mar. Deem um google que vocês conseguem ler o original em inglês do conto “O verdadeiro nome dela” (“Her real name”). Um conto forte e bonito ao mesmo tempo, em direção ao mar. Sim, a Grua gosta de mar! #grualivros #charlesdambrosio #literaturaamericana #contos
  •  40  1  13 hours ago
  • Tem coisa melhor que ouvir uma boa história? E ouvir histórias cercado de livros? <3

Neste sábado teremos nossa 'Hora do Conto' com a Denise Arantes trazendo as melhores histórias para encantar nossa manhã!
Então, esperamos você, nosso convidado especial. ❤️
  • Tem coisa melhor que ouvir uma boa história? E ouvir histórias cercado de livros? <3

    Neste sábado teremos nossa 'Hora do Conto' com a Denise Arantes trazendo as melhores histórias para encantar nossa manhã!
    Então, esperamos você, nosso convidado especial. ❤️
  •  9  1  13 hours ago
  • JOÃO, O HOMEM QUE VIVIA NUMA CASA SEM PORTA⁣
⁣
Lembras-te da casa que construímos juntos? Ainda cá vivo.⁣
⁣
Dou o meu melhor para a manter incólume, mas não tem sido fácil. O tempo suja-ma e destrói-ma a seu belo prazer, e eu ando atrás dele a remediar o que posso. Há ratos e baratas que se esgueiram e há azulejos que se descolam. As paredes racham e as telhas caem, e chove cá dentro da nossa casa, daquela que construímos juntos.⁣
⁣
Lembras-te de como a fizemos única? Cheia de corredores secretos e peculiaridades? Mistérios que só nós dois conhecíamos, descobertas que só nós dois explorávamos. A nossa casa era o nosso mundo a dois, só nosso, onde só nós morávamos e onde ninguém entrava pois não lhe pusemos uma porta. Continua tudo igual, mas mais silencioso.⁣
⁣
Lembras-te daquelas montanhas altíssimas que descobrimos no segundo andar? Por vezes, ainda encontro o barquinho que usávamos para atravessar o rio que atravessa a nossa cozinha. A baleia que trouxemos de Bali continua a nadar na nossa banheira, e as estrelas do céu alentejano ainda brilham no tecto de lá. Se olhar pela janela da sala de cima, sabias que ainda vejo aquela cidade japonesa?⁣
⁣
Mas, sim, eu sei que tu preferias as coisas que guardávamos no quarto. O nosso primeiro carro ainda cá está na gaveta de baixo. Um dia, levo-o para o sótão, mas tenho de esperar que a maré vaze por lá. O teu escritório, aquele do emprego que te fez sorrir tanto, ainda está sobre a mesa-de-cabeceira. As migalhas das tuas bolachas ainda estão espalhadas aqui pela cama, e o cheiro das pipocas caramelizadas não saiu do quarto porque mantive a janela fechada. O gato de rua ainda continua a comer o almoço que preferiste não comer para lhe saciar a fome.⁣
⁣
Eu ainda corro todo nu pela casa e, às vezes, parece-me que te vejo de relance. Se te apanhasse, dir-te-ia para não seres apenas um vulto de passagem, uma sombra que só vejo pelo canto do olho. Pedir-te-ia que te materializasses aqui de novo, na casa que construímos juntos. Mas tu morreste-me. Morreste-me, e eu agora vivo aqui sozinho.⁣
⁣
@diario.de.um.estranho.mundo | www.estranhomundo.com | Textos, ilustrações e animações por Miguel Morgado Santos
  • JOÃO, O HOMEM QUE VIVIA NUMA CASA SEM PORTA⁣

    Lembras-te da casa que construímos juntos? Ainda cá vivo.⁣

    Dou o meu melhor para a manter incólume, mas não tem sido fácil. O tempo suja-ma e destrói-ma a seu belo prazer, e eu ando atrás dele a remediar o que posso. Há ratos e baratas que se esgueiram e há azulejos que se descolam. As paredes racham e as telhas caem, e chove cá dentro da nossa casa, daquela que construímos juntos.⁣

    Lembras-te de como a fizemos única? Cheia de corredores secretos e peculiaridades? Mistérios que só nós dois conhecíamos, descobertas que só nós dois explorávamos. A nossa casa era o nosso mundo a dois, só nosso, onde só nós morávamos e onde ninguém entrava pois não lhe pusemos uma porta. Continua tudo igual, mas mais silencioso.⁣

    Lembras-te daquelas montanhas altíssimas que descobrimos no segundo andar? Por vezes, ainda encontro o barquinho que usávamos para atravessar o rio que atravessa a nossa cozinha. A baleia que trouxemos de Bali continua a nadar na nossa banheira, e as estrelas do céu alentejano ainda brilham no tecto de lá. Se olhar pela janela da sala de cima, sabias que ainda vejo aquela cidade japonesa?⁣

    Mas, sim, eu sei que tu preferias as coisas que guardávamos no quarto. O nosso primeiro carro ainda cá está na gaveta de baixo. Um dia, levo-o para o sótão, mas tenho de esperar que a maré vaze por lá. O teu escritório, aquele do emprego que te fez sorrir tanto, ainda está sobre a mesa-de-cabeceira. As migalhas das tuas bolachas ainda estão espalhadas aqui pela cama, e o cheiro das pipocas caramelizadas não saiu do quarto porque mantive a janela fechada. O gato de rua ainda continua a comer o almoço que preferiste não comer para lhe saciar a fome.⁣

    Eu ainda corro todo nu pela casa e, às vezes, parece-me que te vejo de relance. Se te apanhasse, dir-te-ia para não seres apenas um vulto de passagem, uma sombra que só vejo pelo canto do olho. Pedir-te-ia que te materializasses aqui de novo, na casa que construímos juntos. Mas tu morreste-me. Morreste-me, e eu agora vivo aqui sozinho.⁣

    @diario.de.um.estranho.mundo | www.estranhomundo.com | Textos, ilustrações e animações por Miguel Morgado Santos
  •  65  15  14 hours ago
  • Me apaixonei neste livro assim que eu o vi na pré-venda da Darkside. Lindo e brilhante, do jeito que eu amo. Quando eu vi que era um reconto de princesas, ai mesmo que me encantei e logo o comprei. Fiquei tão fissurada no livro que li em dois dias. Com uma escrita envolvente, a nossa protagonista Gaia nos encanta com sua história. Uma sereia com diversas irmãs, um pai machista e opressor, criada por sua avó pois a mãe morreu no parto, Gaia vai crescendo e tendo mais curiosidade pela superfície, que era o que sua mãe amava e se encantava. 
Gaia está prometida a um tritão velho e o mesmo quer exterminar a Bruxa do mar e suas seguidoras, alegando que as mesmas são feiticeiras. O livro trás fortemente o machismo empregnado na sociedade, que as princesas não têm voz pois elas não podem falar, opinar e servem apenas para deleite dos olhos masculinos. E Gaia conversa com a Ceto, que é a bruxa do mar, para ter pernas para conquistar o jovem Oliver, pois ela se apaixona instantaneamente por ele. Diferente do conto infantil, o livro trás a dor da sereia em andar pelas pernas, a dor de ter sua lingua decepada só para conquistar o homem. O trecho que eu mais gostei do livro é quando Gaia chama Ceto de gorda e a bruxa diz que chamam ela de gorda pois ela não se sente confortável em estar num padrão no qual agrade os homens, ela não acha certo se moldar para bel-prazer deles. Ela também diz que só a chamam de bruxa pois temem os poderes dela. Eu amei o final, uma reviravolta inesperada e amei a forma de que tudo na história se encaixa, não há pontos soltos. 
@darksidebooks 
@darksidebooks.fan 
#resenhaliteraria #livros #darksidebooks #darkside #pequenasereia #pequenasereiaeoreinodasilusoes  #contos
  • Me apaixonei neste livro assim que eu o vi na pré-venda da Darkside. Lindo e brilhante, do jeito que eu amo. Quando eu vi que era um reconto de princesas, ai mesmo que me encantei e logo o comprei. Fiquei tão fissurada no livro que li em dois dias. Com uma escrita envolvente, a nossa protagonista Gaia nos encanta com sua história. Uma sereia com diversas irmãs, um pai machista e opressor, criada por sua avó pois a mãe morreu no parto, Gaia vai crescendo e tendo mais curiosidade pela superfície, que era o que sua mãe amava e se encantava. 
    Gaia está prometida a um tritão velho e o mesmo quer exterminar a Bruxa do mar e suas seguidoras, alegando que as mesmas são feiticeiras. O livro trás fortemente o machismo empregnado na sociedade, que as princesas não têm voz pois elas não podem falar, opinar e servem apenas para deleite dos olhos masculinos. E Gaia conversa com a Ceto, que é a bruxa do mar, para ter pernas para conquistar o jovem Oliver, pois ela se apaixona instantaneamente por ele. Diferente do conto infantil, o livro trás a dor da sereia em andar pelas pernas, a dor de ter sua lingua decepada só para conquistar o homem. O trecho que eu mais gostei do livro é quando Gaia chama Ceto de gorda e a bruxa diz que chamam ela de gorda pois ela não se sente confortável em estar num padrão no qual agrade os homens, ela não acha certo se moldar para bel-prazer deles. Ela também diz que só a chamam de bruxa pois temem os poderes dela. Eu amei o final, uma reviravolta inesperada e amei a forma de que tudo na história se encaixa, não há pontos soltos.
    @darksidebooks
    @darksidebooks.fan
    #resenhaliteraria #livros #darksidebooks #darkside #pequenasereia #pequenasereiaeoreinodasilusoes #contos
  •  10  1  14 hours ago
  • Meus céus: hoje
  • Meus céus: hoje
  •  20  1  14 hours ago
  • LEITURA Nº 23 (2019) – “Os afetos” (Rodrigo Hasbún). .
.
___■ Tinha tudo para ser um bom livro, mas na minha opinião faltou um pouco. Confesso que eu criei muitas expectativas acerca do livro “Os afetos” do autor Rodrigo Hasbún, já nos primeiros capítulos pude perceber que o livro e/ou o autor trilhava caminhos confusos na narrativa, o que por vezes fez-me abandonar a leitura. Trata-se de um livro de memórias, o autor apresenta-nos alguns relatos, através de contos que narram as experiências vividas por uma família de refugiados, exilados na Bolívia, após a derrota da Alemanha na Segunda Guerra Mundial. Os relatos são fortes, capazes de despertar sentimentos aleatórios como melancolia, solidão, sensação de vazio e tristeza. As descrições dos personagens, das cenas e dos sentimentos é um dos pontos mais positivos do livro, assim como o acabamento gráfico que em minha opinião ficou excelente. “Os afetos” não é de todo ruim, mas infelizmente eu não consegui gostar tanto do livro. Quem sabe ele me ganhe na releitura!?■___
.
.
Avaliação pessoal: ☆☆☆
.
.
#leitura #livro #books #memoria #cafe #memories #segundaguerramundial #instabook #osafetos #resenha #coffe #rodrigohasbún #familia #refugiados #contos #literatura #intrinseca #library #lido #skoob #metadeleitura #euamoler #likeforlikes #like4like #sdv #leiamais
  • LEITURA Nº 23 (2019) – “Os afetos” (Rodrigo Hasbún). .
    .
    ___■ Tinha tudo para ser um bom livro, mas na minha opinião faltou um pouco. Confesso que eu criei muitas expectativas acerca do livro “Os afetos” do autor Rodrigo Hasbún, já nos primeiros capítulos pude perceber que o livro e/ou o autor trilhava caminhos confusos na narrativa, o que por vezes fez-me abandonar a leitura. Trata-se de um livro de memórias, o autor apresenta-nos alguns relatos, através de contos que narram as experiências vividas por uma família de refugiados, exilados na Bolívia, após a derrota da Alemanha na Segunda Guerra Mundial. Os relatos são fortes, capazes de despertar sentimentos aleatórios como melancolia, solidão, sensação de vazio e tristeza. As descrições dos personagens, das cenas e dos sentimentos é um dos pontos mais positivos do livro, assim como o acabamento gráfico que em minha opinião ficou excelente. “Os afetos” não é de todo ruim, mas infelizmente eu não consegui gostar tanto do livro. Quem sabe ele me ganhe na releitura!?■___
    .
    .
    Avaliação pessoal: ☆☆☆
    .
    .
    #leitura #livro #books #memoria #cafe #memories #segundaguerramundial #instabook #osafetos #resenha #coffe #rodrigohasbún #familia #refugiados #contos #literatura #intrinseca #library #lido #skoob #metadeleitura #euamoler #likeforlikes #like4like #sdv #leiamais
  •  40  0  14 hours ago
  • Lá fora a guerra parecia interminável. Por todo lado, vozes rumorosas que lançavam frases que detonavam o amor. Ela dizia-lhe que tinha medo. Ele segurou-lhe na mão, olhou-a profundamente durante bastante tempo sem dizer absolutamente nada. Depois, interrompeu o silêncio e sussurrou: Não há mais nada a fazer senão dar o peito às balas. Um peito onde batem dois corações é praticamente indestrutível.
.
  • Lá fora a guerra parecia interminável. Por todo lado, vozes rumorosas que lançavam frases que detonavam o amor. Ela dizia-lhe que tinha medo. Ele segurou-lhe na mão, olhou-a profundamente durante bastante tempo sem dizer absolutamente nada. Depois, interrompeu o silêncio e sussurrou: Não há mais nada a fazer senão dar o peito às balas. Um peito onde batem dois corações é praticamente indestrutível.
    .
  •  14  1  15 hours ago
  • Capítulo um de "Branca de Neve". A Fuga da Princesa.
•
"— Madrasta — Branca de Neve deu enorme uma reverencia."
•
https://my.w.tt/ipTm3DRbQX (link do user na descrição do perfil)
#OmundoOculto
  • Capítulo um de "Branca de Neve". A Fuga da Princesa.

    "— Madrasta — Branca de Neve deu enorme uma reverencia."

    https://my.w.tt/ipTm3DRbQX (link do user na descrição do perfil)
    #OmundoOculto
  •  24  4  15 hours ago
  • "Antony acordou de um pulo e demorou para se acostumar com a claridade. Esfregou os olhos e enfim olhou a sua volta. Nada de novo ou diferente por ali. O quarto branco permanecia claro de ofuscar os olhos, com uma única cama no centro, onde estava sentado agora. Antes que pudesse se levantar ouviu a batida na porta tão incomum. Ao abri-la deu de cara com o primeiro conselheiro, que o olhava carinhosamente. Percebendo o olhar de pânico de Antony, o velho sábio lhe chamou para um passeio nos campos próximos. Concordou com a cabeça e sairam em silencio. Seu desejo agora era ter lhe metido a porta na cara, mas aquilo não era coisa que se fizesse com alguém como ele. Não ali. Caminharam em silencio por alguns minutos, até o sábio poder ouvir a ansiedade de Antony gritar dentro dele. - Chegou a sua hora menino.
- Mas eu não quero ir!
- Você não tem escolha. Sabe que não pode mais ficar. Aqui não é o seu lugar. - Não foi o que me disseram quando cheguei!
- Todos são bem vindos para ficar o tempo necessário. E você não precisa mais. - Eupreciso sim! 
O desespero cresceu nos olhos de Antony ao perceber para onde caminhava. A grande porta de madeira se abria lentamente a sua frente enquanto ele dava passos para trás. O conselheiro mal pode ver o momento em que Antony começou a correr. Sumiu na imensidão branca deixando para trás apenas um magro e sorridente velhinho. 
Já ouvira rumores sobre o que acontecia a quem a atravessava. Por um momento olhou para trás a fim de ver se estava sendo seguido e caiu. (...)"
.
.
.
Quer descobrir onde o Antony caiu? Vem ver nos comentários. Aproveita e deixa o seu comentário tambem dizendo: o que o levou para o quarto branco onde ele acordou e por qual motivo ele não queria sair de lá? Vamos conversar! .
.
.
📚
#joyrodrigues #escritora #microconto #interativo #instaliterario #autora #books #contos #carreiraliteraria #dêlivrosdepresente #distopia #escritacriativa #escritoresbrasileiros #interiormente #livros #lgbtwriter #lesbianwriter #livronacional #latinamericanwriter #mybook #unlimited
  • "Antony acordou de um pulo e demorou para se acostumar com a claridade. Esfregou os olhos e enfim olhou a sua volta. Nada de novo ou diferente por ali. O quarto branco permanecia claro de ofuscar os olhos, com uma única cama no centro, onde estava sentado agora. Antes que pudesse se levantar ouviu a batida na porta tão incomum. Ao abri-la deu de cara com o primeiro conselheiro, que o olhava carinhosamente. Percebendo o olhar de pânico de Antony, o velho sábio lhe chamou para um passeio nos campos próximos. Concordou com a cabeça e sairam em silencio. Seu desejo agora era ter lhe metido a porta na cara, mas aquilo não era coisa que se fizesse com alguém como ele. Não ali. Caminharam em silencio por alguns minutos, até o sábio poder ouvir a ansiedade de Antony gritar dentro dele. - Chegou a sua hora menino.
    - Mas eu não quero ir!
    - Você não tem escolha. Sabe que não pode mais ficar. Aqui não é o seu lugar. - Não foi o que me disseram quando cheguei!
    - Todos são bem vindos para ficar o tempo necessário. E você não precisa mais. - Eupreciso sim!
    O desespero cresceu nos olhos de Antony ao perceber para onde caminhava. A grande porta de madeira se abria lentamente a sua frente enquanto ele dava passos para trás. O conselheiro mal pode ver o momento em que Antony começou a correr. Sumiu na imensidão branca deixando para trás apenas um magro e sorridente velhinho.
    Já ouvira rumores sobre o que acontecia a quem a atravessava. Por um momento olhou para trás a fim de ver se estava sendo seguido e caiu. (...)"
    .
    .
    .
    Quer descobrir onde o Antony caiu? Vem ver nos comentários. Aproveita e deixa o seu comentário tambem dizendo: o que o levou para o quarto branco onde ele acordou e por qual motivo ele não queria sair de lá? Vamos conversar! .
    .
    .
    📚
    #joyrodrigues #escritora #microconto #interativo #instaliterario #autora #books #contos #carreiraliteraria #dêlivrosdepresente #distopia #escritacriativa #escritoresbrasileiros #interiormente #livros #lgbtwriter #lesbianwriter #livronacional #latinamericanwriter #mybook #unlimited
  •  15  5  15 hours ago
  • Olhar
Não é preciso falar
Fale com o olhar
Fale muito mais ao calar
Se expresse ao mirar
Diga tudo ao se encantar
Quando alguém ao lhe avistar 
Saiba de alguma forma lhe tocar

Perceba o outro a te contemplar
Estando você a lhe examinar
Na figura, de quem ao lhe observar 
Conseguir, timidamente, lhe fitar

Porque é gostoso acolher e acatar
Sentir alguém te acudir e você se expressar 
Na forma mais simples de encarar
E na maneira mais bela de amar

HELÔ JOBIM  OLHAR 
#Poesias #Frases #Contos #falar #olhar
#calar #encantar #tocar #observar #fitar
#acatar #acudir #expressar #encarar #amar
  • Olhar
    Não é preciso falar
    Fale com o olhar
    Fale muito mais ao calar
    Se expresse ao mirar
    Diga tudo ao se encantar
    Quando alguém ao lhe avistar
    Saiba de alguma forma lhe tocar

    Perceba o outro a te contemplar
    Estando você a lhe examinar
    Na figura, de quem ao lhe observar
    Conseguir, timidamente, lhe fitar

    Porque é gostoso acolher e acatar
    Sentir alguém te acudir e você se expressar
    Na forma mais simples de encarar
    E na maneira mais bela de amar

    HELÔ JOBIM OLHAR
    #Poesias #Frases #Contos #falar #olhar
    #calar #encantar #tocar #observar #fitar
    #acatar #acudir #expressar #encarar #amar
  •  18  0  15 hours ago

Top #contos Posts

  • Esse trecho consegue explicar o inexplicável. Como chegamos até aqui, eu, ele, você que está lendo esse texto neste exato momento.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Esse encontro na vida, que me faz tão grata por ter esbarrado nesse barquinho de luz, por ter encontrado pessoas incríveis que por "culpa" dele, hoje fazem parte da minha vida.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Hoje é o dia do menino que um dia precisou comprar Vanish e com muito esforço conseguiu; que se emocionou no aeroporto ao ouvir uma música; que perdeu a chave do apê e ficou feliz ao passar um tempo conhecendo o porteiro do prédio; que nos ensina sobre o amor, saudade, amizade, Deus, sobre tantas outras coisas através de seus textos; que nos faz rir através de seus vídeos; que se entrega de corpo e alma no teatro-tv-cinema e continua distribuindo corações pela internet.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Feliz aniversário, Jeff. Sou muito grata por você ter entrado na minha vida. Espero que eu possa continuar presenciando suas conquistas de pertinho e ficar orgulhosa com cada uma delas. Que você consiga sempre lidar com as adversidades da vida e seguir com esse sorrisão que nos encanta. Toda a felicidade do mundo pra você e todos os livros de sua autoria publicados para nós. ❤️
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
- Diana
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
📸: @kimmielima 
Edição: @schjefferson.textos
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
#ohmeudeux 
#schjefferson 
#jeffersonschroeder 
#textosdejeffersonschroeder
#escritor #leitura #textos #historias #livros #ler #autor #contos #cronicas #cultura #ator #cinema #teatro #trechos #bbb19 #croemfamilia #programadoporchat #aculpaedocabral #conversacombial
  • Esse trecho consegue explicar o inexplicável. Como chegamos até aqui, eu, ele, você que está lendo esse texto neste exato momento.
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    Esse encontro na vida, que me faz tão grata por ter esbarrado nesse barquinho de luz, por ter encontrado pessoas incríveis que por "culpa" dele, hoje fazem parte da minha vida.
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    Hoje é o dia do menino que um dia precisou comprar Vanish e com muito esforço conseguiu; que se emocionou no aeroporto ao ouvir uma música; que perdeu a chave do apê e ficou feliz ao passar um tempo conhecendo o porteiro do prédio; que nos ensina sobre o amor, saudade, amizade, Deus, sobre tantas outras coisas através de seus textos; que nos faz rir através de seus vídeos; que se entrega de corpo e alma no teatro-tv-cinema e continua distribuindo corações pela internet.
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    Feliz aniversário, Jeff. Sou muito grata por você ter entrado na minha vida. Espero que eu possa continuar presenciando suas conquistas de pertinho e ficar orgulhosa com cada uma delas. Que você consiga sempre lidar com as adversidades da vida e seguir com esse sorrisão que nos encanta. Toda a felicidade do mundo pra você e todos os livros de sua autoria publicados para nós. ❤️
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    - Diana
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    📸: @kimmielima
    Edição: @schjefferson.textos
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    #ohmeudeux
    #schjefferson
    #jeffersonschroeder
    #textosdejeffersonschroeder
    #escritor #leitura #textos #historias #livros #ler #autor #contos #cronicas #cultura #ator #cinema #teatro #trechos #bbb19 #croemfamilia #programadoporchat #aculpaedocabral #conversacombial
  •  372  43  25 June, 2019
  • Quando eu era criança faltava luz repetidamente onde eu morava. As outras crianças do prédio costumavam reclamar no dia seguinte porque a televisão não funcionava, mas eu amava. Eu amava porque, quando faltava luz, parecia que não faltava mais nada. Íamos todos pra sala, meu avô acendia um lampião e começava a contar histórias. Ele era um contador de histórias, meu avô. Ele até escrevia, mas fazia parte mesmo daquela tradição oral da passagem de conhecimento. Naquele momento éramos uma tribo antiga em torno da fogueira escutando o ancião e sua sabedoria. Não lembro de nenhuma das histórias que ele contava no escuro. Mas o fato dele contar histórias com a família reunida durante um apagão marcou a minha vida profundamente. Sempre gostei da metáfora que transforma palavras em algo que ilumina a escuridão. Agora percebo que gosto porque vivi isso. E que provavelmente é por isso que o escuro nunca me ameaçou. Adoro estar no breu, abrir os olhos e ficar esperando que eles se ajustem até começar a enxergar o mínimo do mínimo possível com a luminosidade que minhas retinas conseguem encontrar. Às vezes ando pela minha casa hoje, que não é a mesma da minha infância, é uma outra casa ainda recente na memória do meu corpo, e não ligo o interruptor. Aí me bato pelos cantos, dou de cara numa parede ou chuto o canto de uma porta. Não, eu não gosto de me machucar, mas é o preço que pago por essa parte de mim que decide não acender a luz. E assim, aos poucos, vou aprendendo a me deslocar sem claridade, enxergando cada vez melhor mesmo sem ver muito bem. E essa é outra metáfora que me escreve muito. Enxergar na minha própria escuridão é o trabalho de uma vida inteira. Hoje meu avô não está mais aqui para contar histórias, mas eu as conto. Não são as mesmas, seria impossível. Cada um só pode contar as próprias histórias, mesmo que elas falem de outros. Isso, e muitas outras coisas que ainda nem sei, eu aprendi com ele naquelas noites de blecaute. E por isso a escuridão me é fundamental. Porque foi com a falta de luz que descobri que sempre vai faltar algo, e é essa falta que faz a vida ser tão plena do que já está ali, esperando apenas que você possa enxergar.
Carina Destempero
  • Quando eu era criança faltava luz repetidamente onde eu morava. As outras crianças do prédio costumavam reclamar no dia seguinte porque a televisão não funcionava, mas eu amava. Eu amava porque, quando faltava luz, parecia que não faltava mais nada. Íamos todos pra sala, meu avô acendia um lampião e começava a contar histórias. Ele era um contador de histórias, meu avô. Ele até escrevia, mas fazia parte mesmo daquela tradição oral da passagem de conhecimento. Naquele momento éramos uma tribo antiga em torno da fogueira escutando o ancião e sua sabedoria. Não lembro de nenhuma das histórias que ele contava no escuro. Mas o fato dele contar histórias com a família reunida durante um apagão marcou a minha vida profundamente. Sempre gostei da metáfora que transforma palavras em algo que ilumina a escuridão. Agora percebo que gosto porque vivi isso. E que provavelmente é por isso que o escuro nunca me ameaçou. Adoro estar no breu, abrir os olhos e ficar esperando que eles se ajustem até começar a enxergar o mínimo do mínimo possível com a luminosidade que minhas retinas conseguem encontrar. Às vezes ando pela minha casa hoje, que não é a mesma da minha infância, é uma outra casa ainda recente na memória do meu corpo, e não ligo o interruptor. Aí me bato pelos cantos, dou de cara numa parede ou chuto o canto de uma porta. Não, eu não gosto de me machucar, mas é o preço que pago por essa parte de mim que decide não acender a luz. E assim, aos poucos, vou aprendendo a me deslocar sem claridade, enxergando cada vez melhor mesmo sem ver muito bem. E essa é outra metáfora que me escreve muito. Enxergar na minha própria escuridão é o trabalho de uma vida inteira. Hoje meu avô não está mais aqui para contar histórias, mas eu as conto. Não são as mesmas, seria impossível. Cada um só pode contar as próprias histórias, mesmo que elas falem de outros. Isso, e muitas outras coisas que ainda nem sei, eu aprendi com ele naquelas noites de blecaute. E por isso a escuridão me é fundamental. Porque foi com a falta de luz que descobri que sempre vai faltar algo, e é essa falta que faz a vida ser tão plena do que já está ali, esperando apenas que você possa enxergar.
    Carina Destempero
  •  126  7  20 hours ago
  • Gosta de ler contos? Então vem ficar feliz e com aquele calorzinho na alma com essas várias histórias de amor.
.
"Não desmereçam como as pessoas se sentem. Deixem que sejam felizes e se permitam isso também. (...) Deixem de lado o orgulho e afastem o preconceito. O candidato a amor da sua vida pode ser quem você menos espera. (...)A vida é muito curta para colecionar decepções e fazer delas seu calvário."
.
Verdadeiros achados que jamais esperávamos, às vezes acontecem em lugares inusitados, como um aeroporto lotado por vôos cancelados, um estranho que te adiciona no Facebook ou um encontro, LITERALMENTE, às cegas.
. 
As histórias de amor criadas por Bel Rodrigues, Pam Gonçalves, Pedro e Hugo (ou Pedrugo) são simples, rápidas e gostosas de ler. Se passando todas em um mesmo universo, cada uma te leva a conhecer sentimentos novos e se lembrar daquela pequena alegria do começo de um bom sentimento.
. 
Próximo Destino: O Amor - Pam Gonçalves

O poder do sentimento inesperado te faz querer sempre mais e Pam Gonçalves consegue instigar exatamente isso com este pequeno conto do inesperado, inspirado no clássico Orgulho e Preconceito de Jane Austen.
.
(Re)começos- Bel Rodrigues

A escrita inconfundível de Bel Rodrigues nos leva à conhecer um pouco mais de um novo universo um tanto quanto dramático. Mas, quem não ama um drama, não é mesmo? Vem que essa é a releitura de Dom Casmurro! 
Uma paixão de momento poderia significar a reconstrução de um mundo?
. 
337 KM - Pedrugo

O amor por internet desse Romeu e Julieta criado por Pedro e Hugo, é o conto que você precisa ler para acreditar que sim, podem existir coisas boas na internet! 
Mas, o que um amor de internet pode trazer? O quanto criar coragem pode mudar seus caminhos?
. 
Quer saber isso e muito mais sobre casa um dos contos? Acesse nosso blog e veja a resenha completa.
O link está na bio ♥

#contos #PamdeBel #Pedrugo #Youtubers #instabooks #AmorNosTemposdeLikes
  • Gosta de ler contos? Então vem ficar feliz e com aquele calorzinho na alma com essas várias histórias de amor.
    .
    "Não desmereçam como as pessoas se sentem. Deixem que sejam felizes e se permitam isso também. (...) Deixem de lado o orgulho e afastem o preconceito. O candidato a amor da sua vida pode ser quem você menos espera. (...)A vida é muito curta para colecionar decepções e fazer delas seu calvário."
    .
    Verdadeiros achados que jamais esperávamos, às vezes acontecem em lugares inusitados, como um aeroporto lotado por vôos cancelados, um estranho que te adiciona no Facebook ou um encontro, LITERALMENTE, às cegas.
    .
    As histórias de amor criadas por Bel Rodrigues, Pam Gonçalves, Pedro e Hugo (ou Pedrugo) são simples, rápidas e gostosas de ler. Se passando todas em um mesmo universo, cada uma te leva a conhecer sentimentos novos e se lembrar daquela pequena alegria do começo de um bom sentimento.
    .
    Próximo Destino: O Amor - Pam Gonçalves

    O poder do sentimento inesperado te faz querer sempre mais e Pam Gonçalves consegue instigar exatamente isso com este pequeno conto do inesperado, inspirado no clássico Orgulho e Preconceito de Jane Austen.
    .
    (Re)começos- Bel Rodrigues

    A escrita inconfundível de Bel Rodrigues nos leva à conhecer um pouco mais de um novo universo um tanto quanto dramático. Mas, quem não ama um drama, não é mesmo? Vem que essa é a releitura de Dom Casmurro!
    Uma paixão de momento poderia significar a reconstrução de um mundo?
    .
    337 KM - Pedrugo

    O amor por internet desse Romeu e Julieta criado por Pedro e Hugo, é o conto que você precisa ler para acreditar que sim, podem existir coisas boas na internet!
    Mas, o que um amor de internet pode trazer? O quanto criar coragem pode mudar seus caminhos?
    .
    Quer saber isso e muito mais sobre casa um dos contos? Acesse nosso blog e veja a resenha completa.
    O link está na bio ♥

    #contos #PamdeBel #Pedrugo #Youtubers #instabooks #AmorNosTemposdeLikes
  •  988  57  18 June, 2019
  • 📚#resenhasobrealeitura 📚
📖Conto: História Interrompida
📕Livro: Todos os Contos
✒Autora: Clarice Lispector
💻Editora: @editorarocco
#12mesescomClarice2019
ㅤ
💬"Ele era triste e alto. Jamais falava comigo que não desse a entender que seu maior defeito consistia na sua tendência para a destruição."
ㅤ
🚫É com essa frase que o conto "História Interrompida" se inicia. Nele, acompanhamos uma mulher recordando um antigo namoro.
ㅤ
🚫Neste conto, narrado em primeira pessoa, a protagonista nos conta o quanto seu amado tendia a ter pensamentos pessimistas e autodestrutivos. Ela temia acabar sendo de certa forma "contagiada" pelo comportamento dele, e como ela era cheia de esperança, alegre e "florida", estava decidida que com suas características seria possível torná-lo uma pessoa mais otimista.
ㅤ
🚫No entanto, o conto possui uma baita reviravolta e vocês precisarão ler para saber se a jovem conseguiu ou não reavivar a alegria no personagem a quem ela nomeia apenas como "W".
ㅤ
🌸Esse conto, apesar de bem curto, é um pouco confuso mas por fim quando você o entende possui uma mensagem muito emocionante e que me deixou muito reflexiva.
ㅤ
💞Não deixem de conferir as resenhas da Ana no @cafe_com_leitura, do Gustavo no @leituraenigmatica e da Fernanda no @condutaliteraria.
ㅤ
❤Blogs parceiros marcados na foto
ㅤ
#todososcontos #contos #historiainterrompida #resenha #conto #claricelispector #editorarocco #parceiroLC #amigasdogdaan #sobrealeitura #blogsobrealeitura
  • 📚 #resenhasobrealeitura 📚
    📖Conto: História Interrompida
    📕Livro: Todos os Contos
    ✒Autora: Clarice Lispector
    💻Editora: @editorarocco
    #12mesescomClarice2019

    💬"Ele era triste e alto. Jamais falava comigo que não desse a entender que seu maior defeito consistia na sua tendência para a destruição."

    🚫É com essa frase que o conto "História Interrompida" se inicia. Nele, acompanhamos uma mulher recordando um antigo namoro.

    🚫Neste conto, narrado em primeira pessoa, a protagonista nos conta o quanto seu amado tendia a ter pensamentos pessimistas e autodestrutivos. Ela temia acabar sendo de certa forma "contagiada" pelo comportamento dele, e como ela era cheia de esperança, alegre e "florida", estava decidida que com suas características seria possível torná-lo uma pessoa mais otimista.

    🚫No entanto, o conto possui uma baita reviravolta e vocês precisarão ler para saber se a jovem conseguiu ou não reavivar a alegria no personagem a quem ela nomeia apenas como "W".

    🌸Esse conto, apesar de bem curto, é um pouco confuso mas por fim quando você o entende possui uma mensagem muito emocionante e que me deixou muito reflexiva.

    💞Não deixem de conferir as resenhas da Ana no @cafe_com_leitura, do Gustavo no @leituraenigmatica e da Fernanda no @condutaliteraria.

    ❤Blogs parceiros marcados na foto

    #todososcontos  #contos  #historiainterrompida #resenha #conto #claricelispector  #editorarocco  #parceiroLC #amigasdogdaan  #sobrealeitura #blogsobrealeitura
  •  443  49  19 June, 2019
  • E é com prazer que anunciamos o edital da Antologia de terror "O que há nas sombras", organizada em parceria entre Helena Medeiros (@ramificandoideiaserealidade), Geovane Gomes (@geovanedossg) e Jessica Dias (@umlivroeumvinho).
ㅤ
Teremos participações de autores convidados incríveis: Lucas de Lucca (@lucas2vezes), Pris Magalhães (@priscamagal) e Marcio Pacheco (@marcio_c_pacheco) ♥
ㅤ
Confiram as regras no edital, disponível no link https://bit.ly/31meQFQ (clicável na bio) e participem! Sejam autores iniciantes ou veteranos, todos serão muito bem-vindos!
ㅤ
Aproveitem a oportunidade de ter seu conto publicado!
ㅤ
📚 Sinopse: O último sino da igreja badalou, o medo dentro de mim se assolou, a cada passo sinto um olhar por trás das janelas, nas casas mais bonitas o mal habita.
Não confiem no que você acha que está vendo. Neste compilado de contos nem mesmo uma simples dona de casa tomando uma taça de vinho é confiável. Você deve estar se perguntando “por quê?”. A resposta é tão simples quanto a ação da mesma: tem certeza se tratar de uma taça de vinho? Acho que aquele líquido está mais para vermelho do que para roxo...
Não esqueça de trancar as portas da sua casa esta noite, a lua cheia está a caminho, não só lobisomens se deliciam com noites feito essas.
Boa noite e não esqueça do que falei, fiquem atentos aos mínimos ruídos, por que eu fui desatento e acabei assim: vagando rumo a lugar nenhum há séculos.
  • E é com prazer que anunciamos o edital da Antologia de terror "O que há nas sombras", organizada em parceria entre Helena Medeiros (@ramificandoideiaserealidade), Geovane Gomes (@geovanedossg) e Jessica Dias (@umlivroeumvinho).

    Teremos participações de autores convidados incríveis: Lucas de Lucca (@lucas2vezes), Pris Magalhães (@priscamagal) e Marcio Pacheco (@marcio_c_pacheco) ♥

    Confiram as regras no edital, disponível no link https://bit.ly/31meQFQ (clicável na bio) e participem! Sejam autores iniciantes ou veteranos, todos serão muito bem-vindos!

    Aproveitem a oportunidade de ter seu conto publicado!

    📚 Sinopse: O último sino da igreja badalou, o medo dentro de mim se assolou, a cada passo sinto um olhar por trás das janelas, nas casas mais bonitas o mal habita.
    Não confiem no que você acha que está vendo. Neste compilado de contos nem mesmo uma simples dona de casa tomando uma taça de vinho é confiável. Você deve estar se perguntando “por quê?”. A resposta é tão simples quanto a ação da mesma: tem certeza se tratar de uma taça de vinho? Acho que aquele líquido está mais para vermelho do que para roxo...
    Não esqueça de trancar as portas da sua casa esta noite, a lua cheia está a caminho, não só lobisomens se deliciam com noites feito essas.
    Boa noite e não esqueça do que falei, fiquem atentos aos mínimos ruídos, por que eu fui desatento e acabei assim: vagando rumo a lugar nenhum há séculos.
  •  501  8  10 June, 2019