• David Arioch ( @davidarioch ) Instagram Profile

    @davidarioch

    12 June, 2019
  • Por @davidarioch No mercado, vi um senhor fazendo um esforço hercúleo para empurrar um carrinho abarrotado de carne. Havia tanta carne que por um momento ele parou de empurrá-lo. Então enxugou o líquido viscoso que escorria de um dos sacos de carne, lambuzando sua mão direita. Seu carrinho não era o único na mesma situação. Antes que eu me afastasse, um de seus filhos o questionou se não havia carne demais no carrinho. Incomodado, o homem respondeu, num paradoxo ruidoso: “Carne é vida. Melhor sobrar do que faltar.” Por outro lado, ele sentia-se desconfortável porque uma de suas mãos estava grudenta. Sem velar a expressão de repulsa, na tentativa de limpá-la, ele acabou esfregando a mão em uma porção de belas laranjas. Em menos de minuto, algumas testemunhas aproximaram-se e viram as laranjas manchadas pelos glutinosos vestígios de carne. Então reclamaram: “Que sujeito nojento! Eu que não pego essas laranjas!” E partiram empurrando seus carrinhos cheios de pedaços de carne bovina e de frango, e bandejas de presunto. #vegazeta #vegazetabr #historias #cotidiano #mercado #consumo #carne #tradicao #habitos #cultura #consumismo #reflexao #alimentacao #vegan #vegano #govegan
    Por @davidarioch 
No mercado, vi um senhor fazendo um esforço hercúleo para empurrar um carrinho abarrotado de carne. Havia tanta carne que por um momento ele parou de empurrá-lo. Então enxugou o líquido viscoso que escorria de um dos sacos de carne, lambuzando sua mão direita. Seu carrinho não era o único na mesma situação.

Antes que eu me afastasse, um de seus filhos o questionou se não havia carne demais no carrinho. Incomodado, o homem respondeu, num paradoxo ruidoso: “Carne é vida. Melhor sobrar do que faltar.” Por outro lado, ele sentia-se desconfortável porque uma de suas mãos estava grudenta. Sem velar a expressão de repulsa, na tentativa de limpá-la, ele acabou esfregando a mão em uma porção de belas laranjas.

Em menos de minuto, algumas testemunhas aproximaram-se e viram as laranjas manchadas pelos glutinosos vestígios de carne. Então reclamaram: “Que sujeito nojento! Eu que não pego essas laranjas!” E partiram empurrando seus carrinhos cheios de pedaços de carne bovina e de frango, e bandejas de presunto.

#vegazeta #vegazetabr #historias #cotidiano #mercado #consumo #carne #tradicao #habitos #cultura #consumismo #reflexao #alimentacao #vegan #vegano #govegan

    Por @davidarioch
    No mercado, vi um senhor fazendo um esforço hercúleo para empurrar um carrinho abarrotado de carne. Havia tanta carne que por um momento ele parou de empurrá-lo. Então enxugou o líquido viscoso que escorria de um dos sacos de carne, lambuzando sua mão direita. Seu carrinho não era o único na mesma situação.

    Antes que eu me afastasse, um de seus filhos o questionou se não havia carne demais no carrinho. Incomodado, o homem respondeu, num paradoxo ruidoso: “Carne é vida. Melhor sobrar do que faltar.” Por outro lado, ele sentia-se desconfortável porque uma de suas mãos estava grudenta. Sem velar a expressão de repulsa, na tentativa de limpá-la, ele acabou esfregando a mão em uma porção de belas laranjas.

    Em menos de minuto, algumas testemunhas aproximaram-se e viram as laranjas manchadas pelos glutinosos vestígios de carne. Então reclamaram: “Que sujeito nojento! Eu que não pego essas laranjas!” E partiram empurrando seus carrinhos cheios de pedaços de carne bovina e de frango, e bandejas de presunto.

    #vegazeta #vegazetabr #historias #cotidiano #mercado #consumo #carne #tradicao #habitos #cultura #consumismo #reflexao #alimentacao #vegan #vegano #govegan

  • 47 3
  • Save Image Other Pictures
@luhpires_ Instagram Profile 13 June, 2019

Na minha infância, minha família só comia carne. Carne de panela, carne isso e aquilo. Aí teve um problema de vaca louca ou sei lá o que, e ficou uns 3 meses sem ter carne na prateleira do supermercado. Então, minha família passou a se sentir com anemia, doentes, tudo psicólogo. Aí começou a vir carne da Argentina pro Brasil, a carne vinha roxa de tão podre. Mas os zumbis estavam lá, em fila se estapeando pra pegar um pedaço do defunto que já tinha morrido há um tempão e percorrido um país no sol escaldante de caminhão. Minha mãe ficou com o carrinho do mercado abarrotado de carne, meu pai saiu orgulhoso, feliz. E na tábua na hora do preparo, aquela carne preta, fedorenta. Mas eles tinham umas "soluções", lavava a carniça com vinagre, fervia e tirava duas águas do cozimento, depois temperava bem com Sazoon e pronto, ficava "deliciosa".